Ação da Enccla será lançada nesta terça (12) para mobilizar sociedade e consolidar propostas de prevenção à corrupção por meio da educação cidadã

11/09/2017 11h26
O evento contará com a presença do presidente da instituição, Rodrigo Janot, e do ministro da Transparência e Controladoria-Geral da União, Wagner Rosário

O evento contará com a presença do presidente da instituição, Rodrigo Janot, e do ministro da Transparência e Controladoria-Geral da União, Wagner Rosário

Mobilizar a sociedade no combate à corrupção por meio de ações de conscientização e de projetos educacionais que contribuam para a formação de cidadãos mais conscientes, íntegros e engajados. Esse é o objetivo da Campanha #TodosJuntosContraCorrupção, que será lançada nesta terça-feira (12), às 10h, no Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), em Brasília. O evento contará com a presença do presidente da instituição, Rodrigo Janot, e do ministro da Transparência e Controladoria-Geral da União, Wagner Rosário.

A campanha é uma iniciativa da Estratégia Nacional de Combate à Corrupção e Lavagem de Dinheiro (Enccla), que reúne mais de 70 órgãos e entidades em funcionamento no país. Através da denominada Ação 6 de 2017 – coordenada pelo CNMP, em colaboração com o Ministério da Transparência e Controladoria-Geral da União (CGU) – a rede busca consolidar propostas de prevenção à prática da corrupção, fomentando a integridade social e a educação para a cidadania.

Todas as peças de comunicação estarão disponíveis no hotsite www.todosjuntoscontracorrupcao.gov.br, e poderão ser baixadas e compartilhadas pelos cidadãos. A página também trará orientações sobre como estabelecer parcerias para produção de cartazes, camisetas, banners e outras formas de divulgação do conteúdo.

Projetos

Durante o lançamento, será divulgado o edital de chamamento público do Programa Nacional de Prevenção Primária à Corrupção. A iniciativa visa selecionar e certificar boas práticas educacionais, já implementadas ou embrionárias, que tenham como objetivos a prevenção da corrupção, o fomento à integridade social e a educação para a cidadania. As propostas selecionadas serão disponibilizadas, no final de 2017, à sociedade, para livre consulta e replicação, em um banco de propostas acessível pela internet.

A prevenção primária à corrupção pode ser entendida como toda ação voltada para crianças, adolescentes e adultos, no ambiente escolar, acadêmico, organizacional ou comunitário, com intuito de promover a formação de cidadãos conscientes e mais participativos no enfrentamento à corrupção, tornando-os mais imunes à prática deste crime e mais envolvidos com o controle social.

A criação do banco de propostas promoverá a aproximação entre os gestores dos sistemas educacionais e possíveis parceiros apoiadores, como empresas, órgãos públicos, academia e entidades do terceiro setor. O intuito é a implementação ou replicação das melhores propostas, tanto pelo apoio financeiro, quanto pelo compartilhamento de experiências e conhecimentos.

Os projetos devem ser submetidos por meio do hotsite. O edital completo, com todos os detalhes, estará disponível na página a partir de amanhã (12).

Educação cidadã

O Ministério da Transparência e Controladoria-Geral da União (CGU) é referência em ações de educação cidadã e tem investido na disseminação nacional da prevenção à corrupção entre os jovens. O programa “Um por Todos e Todos por Um! Pela ética e cidadania”, realizado em parceria com o Instituto Maurício de Sousa, conta com o auxílio do universo lúdico das personagens da Turma da Mônica para disseminar entre as crianças valores relacionados à participação social, à democracia, ao respeito à diversidade e à responsabilidade pelo bem-estar coletivo. O público-alvo são estudantes do Ensino Fundamental matriculados em escolas públicas e privadas do país. Desde a criação em 2009, o programa já envolveu mais de 400 mil alunos, 13 mil professores e 1,6 mil escolas.

Outra iniciativa de destaque é o Concurso de Desenho e Redação da CGU. Com o tema “Todo dia é dia de cidadania”, a 9ª edição da iniciativa visa despertar nos estudantes, de escolas públicas e privadas de todo o país, o interesse por assuntos relacionados ao controle social, à ética e à convivência cidadã, por meio do incentivo à reflexão e ao debate nos ambientes educacionais. A data limite para entrega dos trabalhos é 30 de setembro. No ano passado, a CGU mobilizou cerca de 370 mil alunos e 7 mil professores em todo o país, sendo aproximadamente 8 mil trabalhos foram enviados por cerca de 2 mil escolas.